quinta-feira, 2 de julho de 2009

MINHAS REFLEXÕES E POESIAS

EU QUERIA SER

Eu queria ser como os anjos para poder viver nas nuvens
Queria ser como os pássaros que podem voar livremente ...
Queria enxergar mais longe do que uma águia enxerga suas presas
Queria enxergar a beleza do arco – íris ou então assistir ao nascer do sol no horizonte da minha vida .
Queria voltar a ser criança
Queria tudo isso
Sonho com isso ...
Sonhar ...
É preciso sonhar para ter esperanças ...
É preciso sonhar com esperança ...
Sonhar com coração , com a mente e na vida
É preciso ser feliz e rir como uma criança , simplesmente por rir . somente pelo prazer
da gargalhada ...
É preciso sonhar e almejar de verdade renovar nossos
pensamentos e objetivos ...
É preciso ter coragem de dizer : tenho que mudar
para ser feliz ...
É preciso querer mudar para encontrar o melhor
caminho para a vitória!

Seja um vencedor e ria como uma criança feliz!
( Elisabete Souto Barbosa )
....................................
AS BORBOLETAS

Essas coisinhas lindas
cirandam majestosamente pelo ar,
fazem demonstrações da liberdade
que sentem ao voar

Essas coisinhas lindas
fazem meu coração disparar
de vontade, de vontade
de sonhar ...

Vê - las enfeitando as flores
mostra o descanso
para serem admiradas ,
para serem amadas .

E eu canso ?
Não, não canso de admirá - las ...

(Elisabete Souto Barbosa)
............
LUAR

Escureceu .
E no céu nasceu
milhares de estrelas
umas insignificantes, outras belas
umas meigas, outras singelas
meus olhos chegam a brilhar
de contentamento,
só de olhar .
Que sentimento ?
Que sonho ?
Elas, formosas .
Eu, sonhadora .
Elas, brilhantes .
Eu, distante
e admirando ...
A cada brilho,
a cada instante,
a sonhar ...
a tão somente sonhar ...

( Elisabete Souto Barbosa)
.......
JUVENTUDE

Doce juventude que encanta meus dias,
Que trouxe calor em tempos de frio,
Trouxe amor amando o doce desafio,
O amor querendo elevar - se em magias .

Doce juventude que encanta sem saber
que pensa o pensador que não pensa
que não entende que entende e pensa
não sabe o que sabe sem perceber

Oh, magia que ilumina a magia !
Oh, juventude, flor da aurora celestial,
fase linda que aquece a realidade !

Perfumada aurora que encanta a melodia
amado tom das cores quentes e angelicais
Indo - se embora, ainda agora deixa saudades !
(Elisabete Souto Barbosa)
.........
MESTRE
Um mestre ensina o caminho que acredita ser verdadeiro .
Ampara quando vê que seu discípulo vai tropeçar em alguma pedra no meio do caminho .
Se preocupa quando percebe que sua pupila pode desviar - se do caminho do bem e faz o que pode para que isso não aconteça .
O verdadeiro mestre ensina com o coração e tenta mudar o mundo com palavras que nem sempre são compreendidas .
Chora ou sorri de alegria quando surge à sua frente uma sementinha bem sucedida que ele um dia plantou e que não tinha certeza se brotaria realmente .
Não percebe que o tempo passa , só percebe quando seus olhos se deparam com as sementes que floresceram , transformando - se em fruto .
Educar é isso aí , um caminho árduo , mas compensador para quem educa verdadeiramente . Educar é um verdadeiro dom que Deus deu para poucos .
O verdadeiro educador ama o que faz!

(ELISABETE SOUTO BARBOSA)
.....
O BRILHO DA JUVENTUDE

Quando a juventude se fazia presente em meu rosto, brilhava na alma a esperança e não existia tempestades, nem saudades ...
O belo existia!
As estrelas eram minhas!
O sol brilhava mais!
As estrelas brilhavam num toque de esperança para esta alma de criança, que não cansava de sonhar ...
Hoje, os anos marcaram minhas faces e já não enxergo o céu como antes...
No céu , já não há muitas estrelas, mas ainda são belas e insistem em brilhar para mim...
Querem brilhar, lindas . Nas nuvens escuras somente para que eu as veja e nunca deixe de sonhar ...
Esta alma de poetisa se alegra diante a esta visão e cavalga nesta fantasia que a transforma em criança e tuas esperanças se renovam a cada dia ...
Somente uma criança enxerga um mundo de sonhos...
Este mundo belo e inusitado, onde tudo pode ser verdade. E a saudade ? Ela passa...
quando começo a voar sem destino para este mundo só meu. E a juventude ? Brilha em minha alma. E no rosto ? Pouco importa ...
(ELISABETE SOUTO BARBOSA)
......

A VERDADEIRA CEGUEIRA

Quantas pessoas olham para o céu e não enxergam sua beleza ?
Outras queriam conhecer ... e não podem ...
Quantas pessoas não vêem o brilho das estrelas ?
Outras queriam contemplar essa maravilha e não podem ...
Quantas pessoas olham para o mar e não enxergam nada de especial ?
Não conseguem ver sua grandeza ? Sua majestade ?
Quantas pessoas queria enxergar o mundo e não podem ?
Enquanto outros não conseguem ver o Sol , mas sentem imensamente sua grandeza ...
Não conseguem ver o mar , mas respeitam sua majestade ...
Não conseguem ver o céu , mas imaginam sua beleza ...
Enfim , não enxergam porque são cegos . Mas sentem com a alma ...
Uns enxergam o que querem enxergar , outros o que precisam enxergar ...
Uns possuem a visão , o dom de enxergar e não enxergam as maravilhas que há nas mínimas coisas , no belo , no mundo ... Enxergam apenas com a visão carnal , de um ser humano morto espiritualmente ... São mais cegos do que a própria cegueira ...

(ELISABETE SOUTO BARBOSA)
...............
QUEM ME DERA

Quem me dera o amor fosse como o vento,
que vem e passa num piscar de olhos,
Eu simplesmente não sofreria por ninguém.
Quem me dera esse mesmo vento,
levasse os galhos secos do meu coração
e replantasse a mais bela folhagem,
Resplandecente,
Representando o amor.
Um amor colorido pelas flores .
E quando já não quisesse mais,
esse sairia voando , sem destino .
E eu ?
Não voltaria a pensar mais ...

(Elisabete Souto barbosa)

Um comentário:

Gloria gloriacansanção disse...

que legal!!! gostei muito desses poeminhas!!!

Uma frase

O verdadeiro mestre ama o que faz. Por Elisabete Souto Barbosa

VÍDEOS INTERESSANTES

Cantinho dos autores - Breve histórico

Maurício de Sousa, O pai da Turma da Mônica

Maurício de Sousa nasceu no Brasil, numa pequena cidade do estado de São Paulo, chamada Santa Isabel. Foi em outubro de 1935.
Seu pai era o poeta e barbeiro Antônio Maurício de Sousa. A mãe, Petronilha Araújo de Sousa, poetisa. Além de Mauricio, o casal teve mais três filhos: Mariza (já falecida), Maura e Márcio.
Em 1959, Maurício criou uma série de tiras em quadrinhos com um cãozinho e seu dono Bidu e Franjinha e ofereceu o material para os redatores da Folha. As historietas foram aceitas, o jornalismo perdeu um repórter policial e ganhou um desenhista.
Nos anos seguintes, ele criaria outras tiras de jornal Cebolinha, Piteco, Chico Bento, Penadinho e páginas tipo tablóide para publicação semanal - Horácio, Raposão, Astronauta - que invadiram dezenas de publicações durante 10 anos.
Daí chegou o tempo das revistas de banca. Foi em 1970, quando Mônica foi lançada já com tiragem de 200 mil exemplares. Foi seguida, dois anos depois, pela revista Cebolinha e nos anos seguintes pelas publicações do Chico Bento, Cascão, Magali, Pelezinho e outras.
Seus trabalhos começaram a ser conhecidos no exterior e em diversos países surgiram revistas com a Turma da Mônica.
Fonte de Pesquisa: http://www.turmadamonica.com.br/